Outros Negócios

Visite também

Busca Avançada

Técnico

Saúde

CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO - PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E GESTÃO

Autor
JOÃO FRANCISCO POSSARI

4ª Edição (2010)

Formatos Disponíveis Código do Produto Preço sugerido  
LIVRO IMPRESSO
232 páginas
ISBN: 9788576140641 R$ 117,00 Comprar

Reflexo do estudo desenvolvido pelo autor, este livro aborda os equipamentos e produtos utilizados nas etapas de limpeza, as principais características das embalagens, previsão, provisão, padronização e os métodos de aquisições dos artigos, o dimensionamento de pessoal segundo os principais estudiosos dessa área, a biossegurança e a limpeza das áreas do CME.
A quarta edição foi revisada e ampliada, os capítulos que abordam recepção e expurgo, desinfecção e esterilização química de artigo, área de esterilização de artigos, treinamento e desenvolvimento de pessoal foram atualizados. Os temas rastreabilidade, recall e indicadores de qualidade do Centro de Material e Esterilização foram implementados.

JOÃO FRANCISCO POSSARI

Capítulo 1 - Centro de Material e Esterilização: Histórico, Finalidades, Localização e Área Física
1.1. Introdução
1.2. Centro de Material e Esterilização no Brasil
1.2.1. Sistema de Organização
1.2.2. Importância na Organização Hospitalar
1.3. Finalidades
1.4. Localização
1.5. Forma de Apresentação
1.6. Características da Construção
1.7. Área Física
1.8. Fluxograma
1.9. Zoneamento
Referências Bibliográficas

Capítulo 2 - Área de Recepção e Expurgo
2.1. Introdução
2.2. Objetivos da Limpeza
2.3. Carga Microbiana nos Artigos
2.3.1. Crescimento e Morte Microbiana
2.4. Limpeza Manual
2.5. Limpeza Mecânica
2.5.1. Lavadora Esterilizadora
2.5.2. Lavadora Descontaminadora
2.5.3. Pasteurizadora
2.5.4. Lavadora Ultrassônica
2.5.5. Lavadora Termodesinfetadora
2.5.6. Lavadora de Endoscópios
2.6. Qualidade da Água no Processo de Limpeza dos Artigos
2.7. Produtos de Limpeza
2.7.1. Classificação dos Detergentes
2.7.2. Produtos Enzimáticos
2.7.3. Detergente Alcalino
2.7.4. Detergente com Propriedade Desinfetante
2.7.5. Produtos Abrasivos
2.7.6. Sabões
2.8. Controle do Processo de Limpeza
2.8.1. Controle Microbiológico
2.8.2. Controle Químico
2.8.3. Controle Visual da Limpeza dos Artigos
2.9. Secagem dos Artigos
2.9.1. Pano Limpo
2.9.2. Ar Comprimido Medicinal
2.9.3. Químicos
2.9.4. Secadoras
2.10. Cuidados Especiais com Alguns Artigos e Aparelhos
2.10.1. Instrumental e Outros Artigos de Uso Geral
2.10.2. Aparelhos Elétricos, Pneumáticos e a Bateria
2.10.3. Artigos Endoscópicos
2.10.4. Artigo de Videocirurgia e Endocirurgia
2.10.5. Artigo de Assistência Respiratória e Ventilatória
2.11. Lubrificação dos Artigos
2.12. Uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI)
2.13. Equipamentos da Área de Expurgo
Referências Bibliográficas

Capítulo 3 - Desinfecção e Esterilização Química de Artigos
3.1. Introdução
3.2. Classificação dos Germicidas
3.2.1. Esterilizantes Químicos
3.2.2. Desinfetantes-Detergentes
3.2.3. Saneantes Detergentes
3.2.4. Antissépticos
3.3. Aspectos Legais
3.3.1. Portaria nº 15, de 23 de Agosto de 1988
3.3.2. Portaria nº 122, de 29 de Novembro de 1993
3.3.3. Processamento de Artigos e Superfície em Estabelecimentos de Saúde
3.3.4. Portaria nº 2.042, de 11 de Outubro de 1996
3.3.5. Portaria nº 2.616, de 12 de Maio de 1998
3.3.6. Resolução RE nº 3353, de 26 de Outubro de 2007
3.3.7. Resolução RDC nº 75, de 23 de Outubro de 2008
3.4. Características Ideais dos Germicidas Químicos
3.5. Fatores que Influenciam na Eficácia do Germicida Químico
3.6. Precauções na Utilização de Germicida Químico
3.7. Esterilização de Artigos por Germicida Químico
3.8. Desinfecção de Artigo por Germicida Químico
3.9. Técnica de Desinfecção ou Esterilização de Artigos
3.9.1. Não Automatizada
3.9.2. Automatizada
3.10. Equipamentos de Proteção Individual (EPI)
3.11. Germicidas Químicos Utilizados nos Processos de Desinfecção ou Esterilização de Artigos
3.11.1. Líquido
3.12. Classificação dos Artigos
3.12.1. Artigos Críticos
3.12.2. Artigos Semicríticos
3.12.3. Artigos Não Críticos
Referências Bibliográficas

Capítulo 4 - Área de Preparo e Acondicionamento de Artigos
4.1. Introdução
4.2. Subáreas da Área de Preparo e Acondicionamento
4.3. Equipamentos e Materiais da Área de Preparo do CME
4.4. Iluminação da Área de Preparo do CME
4.5. Seleção da Embalagem
4.6. Tipos de Embalagem
4.6.1. Tecido de Algodão
4.6.2. Papéis
4.6.3. Filmes Transparentes
4.6.4. Lâminas de Alumínio e Caixas Metálicas
4.6.5. Sistema de Contêineres Rígido
4.6.6. Vidros Não Refratários
4.6.7. Não Tecido
4.7. Pacote de Artigo
4.7.1. Tamanho do Pacote
4.7.2. Posição do Artigo no Interior do Pacote
4.7.3. Fechamento do Pacote
4.7.4. Identificação do Pacote
4.8. Embalagem para Transporte de Artigos
Referências Bibliográficas

Capítulo 5 - Área de Esterilização de Artigos
5.1. Introdução
5.2. Quantidade de Equipamentos da Área de Esterilização
5.3. Tipos de Processos de Esterilização
5.3.1. Esterilização por Calor Seco (Estufa - Forno de Pasteur)
5.3.2. Esterilização por Calor Úmido (Vapor Saturado sob Pressão)
5.3.3. Esterilização por Plasma de Peróxido de Hidrogênio
5.3.4. Esterilização por Radiação Gama
5.3.5. Esterilização por Óxido de Etileno
5.3.6. Esterilização por Vapor de Baixa Temperatura e Formaldeído
5.4. Carregamento dos Equipamentos de Esterilização (Autoclaves)
5.5. Controle do Processo de Esterilização
5.6. Qualificação dos Profissionais
5.7. Segurança dos Funcionários
Referências Bibliográficas

Capítulo 6 - Área de Armazenamento e Distribuição de Artigos
6.1. Introdução
6.2. Acesso à Área
6.3. Retirada da Carga da Autoclave
6.4. Condições Ambientais da Área de Armazenamento e Distribuição
6.5. Equipamentos da Área de Armazenamento e Distribuição
6.6. Controle de Artigos
6.7. Inspeção do Pacote Antes do Uso
Referências Bibliográficas

Capítulo 7 - Rastreabilidade e Recall no Centro de Material e Esterilização
7.1. Introdução
7.2. Definição de Rastreabilidade
7.3. Tipos de Rastreabilidade
7.4. Importância da Rastreabilidade
7.5. Rastreabilidade como Fator de Qualidade
7.6. Motivos da Instalação da Rastreabilidade no CME
7.7. Cadeia da Rastreabilidade no CME
7.8. Implementação de um Sistema de Rastreabilidade
7.9. Código de Barras para Disponibilizar Grande Número de Dados e Informações
7.9.1. Número de Lote
7.9.2. Código de Barras 1D
7.9.3. Código de Barras 2D
7.9.4. Número Sequencial
7.9.5. Número Randômico
7.9.6. Radio-Frequency Identification (RFID)
7.10. Sistema de Apoio à Gestão de Dados e Informações
7.10.1. Estrutura Básica do Sistema de Apoio à Gestão de Dados e Informações
7.10.2. Características do Sistema de Apoio à Gestão de Dados e Informações
7.10.3. Funções do Sistema de Apoio à Gestão de Dados e Informações
7.11. Recall no Centro de Material e Esterilização
7.11.1. Objetivo do Recall
7.11.2. Origem do Recall
7.11.3. Aspecto Legal do Recall
7.11.4. Aspecto Ético do Recall
7.11.5. Custo do Recall
7.11.6. Como Evitar o Recall
7.11.7. Como Fazer o Recall
7.11.8. Quando Fazer o Recall
7.11.9. Sistema de Informação do Recall
Referências Bibliográficas

Capítulo 8 - Administração de Materiais do Centro de Material e Esterilização

8.1. Introdução
8.2. Previsão
8.3. Provisão de Artigos do CME
8.3.1. Sistema de Reposição por Quantidade
8.3.2. Sistema de Reposição por Tempo
8.3.3. Sistema de Reposição por Quantidade e Tempo
8.3.4. Sistema de Reposição Imediata por Quantidade
8.4. Padronização dos Artigos
8.5. Controle dos Artigos
8.6. Processo de Compra dos Artigos
Referências Bibliográficas

Capítulo 9 - Biossegurança no Centro de Material e Esterilização
9.1. Introdução
9.2. Riscos no Centro de Material e Esterilização
9.2.1. Riscos Físicos
9.2.2. Riscos Químicos
9.2.3. Riscos Mecânicos
9.2.4. Riscos Biológicos
9.3. Precauções Padrão
9.3.1. Lavagem das Mãos
9.3.2. Cuidados com Artigos Perfurocortantes
9.3.3. Equipamentos de Proteção Individual
9.4. Orientações Gerais quanto à Legislação Trabalhista
Referências Bibliográficas

Capítulo 10 - Indicadores de Qualidade do Centro de Material e Esterilização
10.1. Introdução
10.2. Histórico da Qualidade dos Serviços de Saúde
10.3. Avaliação da Qualidade dos Serviços de Saúde
10.4. Definição de Indicador
10.5. Classificação dos Indicadores
10.6. Características Básicas de um Indicador
10.7. Escolha do Indicador
10.8. Montagem de um Indicador
10.9. Tipos de Indicadores de Qualidade no CME
10.9.1. Indicadores de Estrutura
10.9.2. Indicadores de Processos
10.9.3. Indicadores de Resultados
10.10. Monitoração dos Indicadores
10.11. Benchmarking de Indicadores de Qualidade do CME
Referências Bibliográficas

Capítulo 11 - Limpeza do Centro de Material e Esterilização
11.1. Introdução
11.2. Limpeza das Paredes, Corredores, Tetos, Janelas, Portas, Pisos
11.3. Segregação de Resíduos
11.4. Equipe de Limpeza
Referências Bibliográficas

Capítulo 12 - Recursos Humanos do Centro de Material e Esterilização

12.1. Introdução
12.2. Dimensão Ético-Política do Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem
12.3. Recursos Humanos para o CME
12.4. Estudos sobre Dimensionamento de Pessoal para o Centro de Material
12.4.1. Alcalá et al., 1982
12.4.2. Brasil, 1988
12.4.3. Silva, 1996, 1998
12.4.4. COFEN - Resoluções 196 e 293
12.4.5. Gaidzinski, 1998
12.4.6. Possari, Gaidzinski, 2001
Referências Bibliográficas

Capítulo 13 - Treinamento e Desenvolvimento de Pessoal do Centro de Material e Esterilização
13.1. Introdução
13.2. Processo Ensino-Aprendizagem
13.3. Finalidades do Treinamento e do Desenvolvimento da Equipe de Enfermagem do CME
13.4. Problemas Gerados na Falta de Treinamento e Desenvolvimento
13.5. Local de Treinamento e Desenvolvimento da Equipe de Enfermagem do CME
13.6. Itens de um Programa de Treinamento e Desenvolvimento da Equipe de Enfermagem do CME
13.7. Avaliação do Treinamento e do Desenvolvimento da Equipe de Enfermagem do CME
13.8. Recomendações para o Treinamento e o Desenvolvimento da Equipe de Enfermagem do CME
13.9. Periodicidade do Treinamento e do Desenvolvimento da Equipe de Enfermagem do CME
Referências Bibliográficas

Capítulo 14 - Organização do Centro de Material e Esterilização
14.1. Introdução
14.2. Perfil Profissional do Enfermeiro Coordenador
14.3. Competência do Enfermeiro Coordenador
14.4. Perfil Profissional do Técnico ou Auxiliar de Enfermagem
14.5. Competência do Técnico ou Auxiliar de Enfermagem
14.6. Regimento
14.6.1. Conteúdo do Regimento
14.7. Norma
14.8. Rotina
14.8.1. Informações que Podem Estar Inseridas em uma Rotina
14.8.2. Como Avaliar uma Rotina
14.8.3. Finalidade do Regimento, das Normas e Rotinas
14.9. Procedimento
Referências Bibliográficas

Glossário

Índice Remissivo

www.editorasaraiva.com.br

© Saraiva S/A - Livreiros Editores

Voltar ao topo
Imprimir selecionados