Outros Negócios

Visite também

Busca Avançada

Infantil e Juvenil

Literatura Juvenil

A ESCRAVA ISAURA

Autor
BERNARDO GUIMARÃES

1ª Edição (2008)

  • Livro recomendado para:
    - Ensino Médio
    - Ensino Fundamental / 6º - 9º Ano
Formatos Disponíveis Código do Produto Preço sugerido  
LIVRO IMPRESSO
216 páginas
ISBN: 9788502072817 R$ 29,00 Comprar

Esta edição já está de acordo com a nova ortografia.

Romance que fez de Bernardo Guimarães um dos mais populares autores de sua época, A escrava Isaura conta a história de Isaura, uma escrava de pele clara, fruto do amor entre uma mulata e um branco. Graças à bondade de sua senhora, Isaura recebeu educação de moça branca. Ela só pensa em sua liberdade quando se apaixona por um fervoroso abolicionista. Trata-se de uma obra antiescravagista, sem idealização romântica, que ressalta a ambivalência da condição de escrava da protagonista, mostrando assim o jogo dos preconceitos e dos bloqueios sociais brasileiros ligados à questão étnica, às vésperas da abolição.

BERNARDO GUIMARÃES

(1825 - 1884) Autor de A Escrava Isaura, Bernardo Joaquim da Silva Guimarães era filho de Joaquim da Silva Guimarães e Constança Beatriz de Oliveira. Dos quatro aos dezesseis anos viveu em Uberaba e Campo Belo, onde aprendeu as primeiras letras. Matriculou-se, em 1847, na Faculdade de Direito de São Paulo, onde se tornou amigo inseparável de Álvares de Azevedo e Aureliano Lessa, com os quais chegou a projetar a publicação de uma obra que se chamaria "Três Liras". Bacharelou-se no começo de 1852, mesmo ano em que publicou o livro de poemas "Cantos da Solidão". Exerceu o cargo de juiz municipal e de órfãos de Catalão, em Goiás. Fez jornalismo e crítica literária no Rio de Janeiro. Em 1864, o poeta viveu na Corte, onde publicou o volume "Poesias", contendo "Cantos da solidão", "Inspirações da tarde", "Poesias diversas", "Evocações" e "A baía de Botafogo". Fixou-se, a partir de 1866, em Ouro Preto, onde foi nomeado professor de retórica e poética no Liceu Mineiro. Casou-se no ano seguinte com Teresa Maria Gomes, que lhe deu oito filhos. Uma das duas filhas foi Constança, falecida aos 17 anos, quando noiva de seu primo, o poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens, que a imortalizou na literatura. Em 1875, publicou o romance que melhor o situaria na campanha abolicionista e viria a ser a mais popular das suas obras: "A escrava Isaura". Obras: O ermitão de Muquém Lendas e romances O seminarista A escrava Isaura Histórias e tradições de Minas O bandido do rio das Mortes (póstumo)

Obras relacionadas

www.editorasaraiva.com.br

© Saraiva S/A - Livreiros Editores

Voltar ao topo
Imprimir selecionados